Sustentabilidade

Sobreviver, crescer e perpetuar com sustentabilidade é nossa responsabilidade socioambiental. Conheça os projetos e ações da Polimix dedicados a esta questão.

Ser Humano

A confiança no potencial do Ser Humano e em sua vontade de desenvolver-se é o fundamento da Nossa Filosofia Empresarial..

Acreditando em um futuro melhor, a Polimix foca seu investimento social em jovens em situação de vulnerabilidade social, abrindo portas para eles descobrirem e desenvolverem suas capacidades como agentes transformadores da sociedade.

Em 2011 a Polimix foi a primeira empresa do setor de construção civil a implantar, em parceria com a Fundação Iochpe, o Programa Formare, um curso de educação profissional que forma jovens e mobiliza dezenas de voluntários. A Polimix oferece suas instalações e o talento de seus integrantes para preparar os jovens para o mundo do trabalho.

FORMARE POLIMIX – São Paulo

Curso de Assistente Administrativo e de Produção. Desde 2011:

  • 825 horas de aprendizagem por ano
  • 77 educadores voluntários por ano
  • 167 jovens formados
  • 83% inseridos no mercado de trabalho
  • 54% trabalhando na Organização
FORMARE MIZU – Rio Grande do Norte

Curso de Assistente de Operações de Controle e Manutenção Industrial. Desde 2013:

  • 814 horas de aprendizagem por ano
  • 33 educadores voluntários por ano
  • 79 jovens formados
  • 64,5% inseridos no mercado de trabalho
  • 29% trabalhando na Organização

A Agrisa, empresa da Organização Polimix produtora de etanol no Rio de Janeiro, promove o desenvolvimento de conhecimentos e habilidades de jovens entre 17 e 24 anos que se encontram em situação de desvantagem socioeconômica, por meio do Projeto Jovem Aprendiz. As aulas são ministradas na Agrisa em parceria com o SENAR (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural).

Desde 2009:

  • 800 horas de aprendizagem por ano
  • 94 jovens formados
  • 13% trabalhando na Organização

Saúde e Cultura

A saúde é a engrenagem do Ser Humano, que alimentado pela cultura e conhecimento, está apto a desenvolver-se e transformar a sociedade.

Atividade Física

São realizadas campanhas periódicas, motivando os integrantes a praticarem regularmente atividades físicas. Na Organização mais de 200 integrantes praticam Ginástica Laboral com orientação de profissionais da área.

Alimentação Saudável

Além das campanhas periódicas, em 2019 será realizado um grupo teste com 20 integrantes que receberão, durante 10 sessões, orientações nutricionais para melhorar a saúde a partir da reeducação alimentar.

Vacinação

Anualmente a Organização realiza campanhas de vacinação para centenas de integrantes que são gratuitamente imunizados contra gripe, febre amarela e sarampo.

Campanha de Sensibilização

O Outubro Rosa e Novembro Azul fazem parte do calendário da Organização e os integrantes são convidados a participarem de palestras com especialistas e a vestirem as cores das campanhas para reforçar a importância da prevenção.

Acesso a Cultura

Em São Paulo, onde encontra-se a estrutura de Apoio e Educação das empresas da Organização, são oferecidos para mais de 450 integrantes:

– um Centro de Lazer, com jogos e espaço de convivência;

– uma Biblioteca, com 628 livros doados pelos próprios integrantes, além de duas Caixas de Cultura com 40 títulos rotativos, em parceria com o Sesi.

 

Espalhando Conhecimento

Através da Lei de Incentivo à Cultura, a Organização, visando disseminar a história que envolve a área da construção civil, publicou os livros:

– No Prumo (2018) – Um guia de boas práticas para construções sólidas e duradouras, baseado na história do concreto.

–  A Curva e a Linha: Obras de Niemeyer no Brasil (2014) – Um registro sobre Oscar Niemeyer e suas obras, uma referência mundial em arquitetura, engenharia, urbanismo e arte.

Meio Ambiente

Para realizar o máximo de seu potencial, com qualidade de vida, o Ser Humano precisa estar inserido em um meio ambiente preservado.

A preocupação com as questões ambientais levou a Organização Polimix, desde 2007, a investir em atividades voltadas à preservação do meio ambiente.

Bioenergia

A Polimix Energia produz etanol, um combustível biodegradável que tem menor emissão de gases poluentes. No processo há ainda geração de bioenergia de biomassa. As unidades do Rio de Janeiro e Minas Gerais produzem por ano 168 milhões de litros/safra e 28 MW.

Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs)

A Polimix Energia tem participação em três PCHs e três projetos que geram energia renovável com a força das águas no estado do Mato Grosso, com capacidade instalada total de 71,5 MW.

Energia Eólica

A energia dos ventos auxilia na redução do efeito estufa por substituir fontes de energia de combustíveis fósseis. A Polimix Energia participa de projetos no Rio Grande do Norte e Bahia, com capacidade de gerar 481 MW de energia limpa.

Certificações

Em 2019, unidades da Mizu Cimentos (Rio de Janeiro e Minas Gerais) e Polimix Agregados (São Paulo) receberam o Certificado Comerc – Sinerconsult de Energia Renovável pela redução de emissão de gases de efeito estufa, alcançada com a utilização de energia de fontes renováveis durante o ano de 2018. Uma redução total de 433,16 tCO2e.

A Agrisa, empresa da Organização Polimix produtora de etanol no Rio de Janeiro, promove o desenvolvimento de conhecimentos e habilidades de jovens entre 17 e 24 anos que se encontram em situação de desvantagem socioeconômica, por meio do Projeto Jovem Aprendiz. As aulas são ministradas na Agrisa em parceria com o SENAR (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural).

Desde 2009:

  • 800 horas de aprendizagem por ano
  • 94 jovens formados
  • 13% trabalhando na Organização

Redução da sobra de concreto

A Polimix Concreto, desde 2012, formaliza em suas propostas comerciais a cobrança de adicional por devolução de sobra de concreto, estimulando os clientes a calcularem precisamente o volume para cada obra, reduzindo o volume de resíduo.

Reciclagem de resíduos de concreto

Com o Procedimento de Reaproveitamento de Concreto, a Polimix transforma, em suas próprias unidades, a sobra de concreto que retorna das obras em material que pode ser utilizado novamente no processo.

A Polimix também tem uma planta em Santana de Parnaíba/SP, que recebe resíduos de concreto de obras e, pelo processo de britagem, o transforma em matéria-prima para a construção civil. A unidade possui capacidade para produzir 240.000 t/ano.

Reciclagem de pneus e resíduos de borracha

Utilizando uma avançada tecnologia de economia circular, a Polimix Ambiental transforma pneus inservíveis e resíduos de borracha em negro de carbono, aço, óleo combustível e gás, reduzindo o impacto ambiental. Em 2018 evitou-se que mais de 712 mil pneus fossem descartados no meio ambiente.

Coleta seletiva  

Desde 2007 é feita a Coleta Seletiva na Vila Industrial em Santana de Parnaíba/SP, por meio da Avemare, uma cooperativa formada por ex-catadores. Materiais que se tornariam lixo são coletados, separados e processados para serem usados como matéria-prima para novos produtos. O programa beneficia o meio ambiente e 83 famílias de cooperados.  

Desde 2008 realiza-se também a coleta de pilhas e baterias usadas. O objetivo é descartar estes materiais, tóxicos para o meio ambiente, em local apropriado. Mais de 5.800 pilhas e baterias já foram coletadas.

Na Vila Industrial e nas unidades da Polimix Concreto estamos realizando a campanha de coleta de lacres de lata. Com 100 kg de anéis de alumínio se obtém uma cadeira de rodas, que é doada a idosos ou pessoas com necessidades especiais. Mais de 52 kg de lacres já foram coletados.

Sabendo da importância da preservação do meio ambiente para a qualidade de vida das pessoas, todos os negócios da Organização possuem planos de cultivo de áreas verdes.

Cerca Viva

O plantio, quando ocorre nas divisas das unidades, é chamado de Cerca Viva. Proporciona melhoria da qualidade do ar, conforto térmico, ambiente mais bonito e agradável, proteção contra ventos, evitando a dispersão do pó e reduzindo ruídos, melhorando a qualidade de vida da comunidade do entorno.

Viveiro

Todas as unidades da Organização que possuem espaço para cultivo têm viveiro ou horta. Na Vila Industrial, em São Paulo, está o principal viveiro da Organização, utilizado para complementação de áreas de proteção, distribuição de frutas e verduras para integrantes e aulas de educação ambiental para a comunidade. Em 2018 foram cultivados 11.000 eucaliptos, 9.000 plantas ornamentais, 360 árvores frutíferas e 390 árvores nativas.